sábado, 22 de setembro de 2012

A memória

A memória é uma das coisas mais importantes na definição de um ser humano. As nossas vivências, experiências, gostos e hábitos formam a nossa memória e ajudam a definir quem somos. Quando isso desaparece o que fica de nós?


O meu pai tem essa terrível Doença de Alzheimer. A sua memória, tanto de longo como de curto prazo, já falha muito. Já não conta as histórias da sua juventude que costumava contar. Talvez elas já nem existam na sua cabeça. Já não tem certos hábitos que faziam dele quem ele era. Talvez o seu cérebro já seja a maior parte do tempo uma manhã de denso nevoeiro. Por enquanto ainda nos conhece a nós e esse é talvez o momento mais temido, o momento em que o nevoeiro se instale permanentemente naquela cabeça e ele deixe de reconhecer a família.
Nesse momento teremos que nos agarrar à nossa memória para continuar.

5 comentários:

Lúcia Soares disse...

Sinto muito, Isabel. Tomara que a medicina avance sempre mais, para tentar deter o avanço da doença.
Beijo!

Lúcia Soares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Heloísa disse...

Isabel,
Que triste!
Mas tenho a impressão de que é mais triste para quem acompanha a evolução desse quadro da doença.
Beijo.

Beth/Lilás disse...

Olá, Isabel querida!
Sinto muito por seu paizinho, mas minha mãe também já apresenta a mesma coisa. Há dias em que me pergunta a mesma coisa umas duas ou três vezes, esquece as coisas do presente. Por incrível que pareça, ainda lembra mais do passado do que o que aconteceu há uma ou duas horas atrás.
Seria muito interessante que lesses um blog que fala em detalhes sobre esta doença, o qual eu acompanho há tempos e sou amiga pessoal da dona do mesmo. Chama-se Longevidade e tem por lá uma forma de perguntar a ela a respeito desta e de outras doenças que acometem os idosos.
Deixo-vos aqui o link para acompanhamento:
http://longevidade-silvia.blogspot.com.br/

um abraço carioca



Ana Rita disse...

O alzeihmer, esse maldito alemão, assusta-me muito. Tenho medo de um dia vir a sofrer essa doença e esquecer tudo o que eu fui e o que foi a minha vida! Para o teu pai, um grande beijinho e um forte abraço.

Beijinhos para ti também**