sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Dúvida

Comecei há pouco tempo a ler o livro Gabriela, Cravo e Canela de Jorge Amado embalada pela novela da Globo que está neste momento a passar em Portugal. Tinha o livro cá por casa e resolvi pegar nele. Qual o meu espanto quando logo no início do livro o autor descreve a personagem principal como "a mulata Gabriela". Pára tudo. Mulato não significa filho de mãe negra e pai branco ou vice-versa, ou dito de outra maneira, uma pessoa com mistura de genes de etnia branca e de etnia negra? Será que no Brasil, mulata tem outro significado? Deve significar mulher branca com a pele queimada pelo sol, a avaliar pelas actrizes escolhidas para representar Gabriela. Ou será que no Brasil Sónia Braga e Juliana Paes são consideradas mulatas? A mim parece-me que agora, como há 30 anos atrás, o Brasil ainda não aceita ver na televisão uma Gabriela mulata. E eu acho isso muito estranho.

2 comentários:

Beth/Lilás disse...

Ah, cara amiga, este assunto já foi bastante abordado por aqui também, pois esta Gabriela que aí está não é mesmo uma representante da raça mulata, embora eu conheça sua família de perto, pois são daqui de Niterói e têm um salão de beleza bem no meu bairro, mas a mãe e irmãs da Juliana são morenas, claras e lindas, por sinal. A outra Gabriela, Sonia Braga, também mora aqui na minha cidade, no bairro do Ingá e vez ou outra vejo-a em hortifrutis, completamente disfarçada para não ser incomodada.
Ela também é morena clara, aliás depois que morou tanto tempo em NY ficou com a pele mais branca ainda, talvez por tantos cremes importados para isso.
Bem, o fato é que o romance foi escrito por Jorge Amado, e acontece na Bahia, terra de maioria negra ou mulatos, por causa da grande concentração de escravos que por lá receberam, assim como o próprio Rio também. E aí a Rede Globo, poderosa, faz o que quer, coloca a atriz que quer e dá ibope, por causa da facilidade que tem em ficar despida diante das câmeras, talvez, porque nem a considero tão boa atriz assim. Fora isso, acho que nem na linda Paris art noveau, as mulheres eram tão lindas e tão bem arrumadas como eles mostram nesta novela, ainda por cima num lugar quente como aquele. Tudo muito exagerado.
Mas, o pior mesmo foi o que a emissora fez há mais de 40 anos atrás, quando pintou a cara do ator Sérgio Cardoso de preta para fazer o papel no outro romance conhecido chamado A Cabana do Pai Tomás.
Mas, sabe o que acontece? O povo não tá nem aí, tem gente que nunca leu um romance desses por aqui e a coisa boa disso tudo, no final das contas, é que a Globo com isso, consegue, pelo menos levar um pouco da nossa bela literatura, claro, ao jeitinho dela, com distorções absurdas.
Teria até mais para falar, mas já falei demais neste imenso comentário. desculpe o jeito.
um abraço carioca




Cláudia disse...

Pois, é uma boa questão. Acho que a Beth já disse tudo... claro que a Globo fez as adaptações que sabia que iam resultar, pelas leis do marketing...

aliás, na minha opinião, esta Gabriela (não só a personagem, como a novela em geral) tem pouco cravo e pouca canela. A especiaria mudou, agora o que tem é pimenta em demasia, não havia necessidade... mas é o que vende!