segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

A Duquesa de Devonshire

Georgiana, Duquesa de Devonshire, Séc.XVIII

Depois de uns dias complicados, consegui, no Domingo, abrir os olhos de novo para a vida e para o mundo.
Eu tenho andado um bocadinho em baixo, (não sei se alguém reparou?) Estive muito doente, durante muito tempo. Quase há um ano que estou num processo de cura, mas no último mês tenho sentido alguns retrocessos. Nada que me deite completamente abaixo, porque eu nunca perco a esperança. Mas o ânimo às vezes foge das minhas mãos como areia a escorregar por entre os dedos. Para além de tudo a minha mãe está com problemas cardíacos e a falta de saúde das pessoas que eu amo desequilibra-me bastante. Por tudo isto tive uns dias difíceis, mas está a melhorar.
Bem, mas este post não é sobre mim. É sobre o filme que fui ver no Domingo à tarde, A Duquesa.
Para quem não sabe, o filme conta a história da Duquesa de Devonshire, personagem histórica da Inglaterra da segunda metade do séc. XVIII. Gostei muito do filme, gosto de filmes baseados em personagens históricas e este é muito bom. Visualmente muito bonito, com as lindas paisagens do countryside inglês, a perfeita caracterização da época e os lindos rostos dos protagonistas. Acho que exageraram um pouquinho nos grandes planos de Keira Knightley, que todos sabemos que é lindíssima, mas não exagerem. (Depois de ver tanto o rosto dela a encher o ecrã, saí do cinema a pensar que era a própria Keira!!! Depressa voltei à realidade!) E uns dos meus actores britânicos preferidos, Ralph Fiennes, excelente na pele dum fleumático aristocrata inglês que ligava mais aos seus cães do que à sua própria mulher. Pobre Georgiana, que casou aos 17 anos com um homem que não se interessava por nada, muito menos por ela. Aliás na época dizia-se que todos amavam a Duquesa de Devonshire menos o seu marido. Amava-a também Charles Grey futuro primeiro-ministro de Inglaterra, mas nesse tempo apenas um político promissor. Georgiana amava-o também e teve uma filha dele, da qual teve que abdicar, para não ter que abdicar dos quatro filhos que tinha de seu marido. Para variar chorei, precisamente na cena em que ela tem que entregar a recém-nascida à família do pai. Fiquei muito interessada nesta personagem histórica e vou tentar saber mais.
Nota: Fiquei tão farta do rosto de Keira Knightley que resolvi pôr uma imagem da verdadeira duquesa.

10 comentários:

Sofia disse...

Uma prendinha para ti aqui:

http://osdesabafosdasofia.blogspot.com/2009/02/um-selo-de-mulher.html

jocas

Heloísa disse...

Isabel,
Gostei da ideia de colocar uma estampa da própria duquesa.
O filme já esteve por aqui e eu não consegui ir vê-lo.
Bom saber que saiu para se distrair.
Saúde para sua mamãe e para você.
Beijos

Cláudia M. disse...

Com o Ralph Fiennes? Esse não posso perder... a modos que simpatizo um bocado com esse senhor...
ainda bem que foste espairecer.
A vida vai melhorar!!
Bjs

ameixa seca disse...

Ai gosto tanto desse actor! O gajo é mesmo bom... actor, entenda-se :) E ela também é muito boa actris sim snehora. Quanto ao teu processo, isso vai melhorar :) Temos todos fé em ti, eu pelo menos tenho ;)

Maldonado disse...

Já ouvi falar do filme. Quando tiver oportunidade, hei-de vê-lo, pois gosto muito de filmes históricos. :)

Sandra disse...

Tenho uma prenda para ti!
Vai ao meu blog e procura o teu nome no selo que te ofereço.

http://gira-girassol.blogspot.com/

Inside me disse...

Confesso que não olhei muito para o comentário que fizeste do filme.

Gostei mais de saber que estás a melhorar, pelo menos foste ao cinema e isso é bom...

... mas gosto sempre de ler as tuas opiniões sobre os filmes.

Bjs

Abóbora Amarelinha disse...

Isabel, claro que reparámos que não estavas bem, eu não sabia que tinhas estado doente, desejo sinceramente que tudo tenha passado.
beijinhos muito fortes

Claudia disse...

Isabel,

Este filme está passando aqui mas ainda não vi. Mas eu ando meio farta da Keira. Não desgosto dela não, mas estes filmes dos piratas do caribe que as crianças aqui amam e assistem o tempo todo me deixaram de bode dela. O que ela cansa Johnny Depp não cansa nunca.


Mas olhe, eu também estive bem doente em 2008, o ano todo e comecei 2009 fazendo uma operação, em janeiro, não mencionei com quase ninguém e por isso não pude viajar para o Rio, pois estou me recuperando.

As vezes dá medo mas não gosto de pensar muito não. Seja o que for eu não vou perder meu tempo pensando, i.e. sofrendo. A vida é sonho...

Beijos,

C.

Anónimo disse...

Affê, o rosto da Keira não cansa.