sexta-feira, 3 de julho de 2009

Património Arquitectónico

Relativamente perto da minha casa existe um prédio centenário que está neste estado de degradação que podemos ver pelas fotografias. O prédio está assim abandonado há mais de 10 anos e dou-o como exemplo das centenas de prédios que existem em Lisboa, neste estado de abandono e degradação. Uma das coisas que mais me entristecem em Lisboa, aliás no nosso país, (porque o problema não é exclusivo de Lisboa, vi o mesmo em algumas zonas do Porto) é a forma como se deixam literalmente a cair edifícios que fazem parte do nosso património arquitectónico e cultural. Não são apenas prédios velhos, pertencem a um património que é só nosso e que devia ser preservado. Eu não digo que todos os edifícios antigos devam ser obrigatoriamente recuperados, mas em bairros onde existe ainda uma harmonia arquitectónica, não compreendo como as câmaras municipais não investem na preservação deste património.

O edifício é muito grande, tem pelo menos 24 apartamentos. Se fosse restaurado poderiam viver nele pelo menos 24 pessoas/famílias. Pessoas essas que trariam mais vida à cidade de Lisboa. E que teriam casas no centro da cidade, perto de tudo.

Eu nunca entrei no edifício, mas de fora parece-me que as casas são muito grandes e de pé direito bem alto. Para além disso tem varandas na frente, e nas traseiras tem quintais que pertencem aos prédios e que também estão obviamente abandonados. Que desperdício!

É realmente lamentável ver este tipo de património ao abandono. O edifício é todo recoberto com azulejos com uma influência levemente mourisca e até estão mais ou menos preservados tirando a parte inferior do edifício.


Quando é que os responsáveis municipais vão compreender que tão importante como construir o novo é preservar o antigo, pois é esse património que é único?

13 comentários:

Baú da Conceição disse...

concordo contigo, eu adoro este tipo de predios, acho-os lindos, ainda esta semana fui em trabalho a um Instituto de Solidariedade aqui na Rua Rodrigues de Freitas, no Porto, funciona num prédio antigo, posso considerar um palacete, fiquei admirada com a beleza dos seus tectos pintados e com molduras em madeira toda trabalhada, as paredes tinham uma pintura que dava a ideia da vista de uma janela para um lindo jardim, mas estavam todas empoladas com a tinta a sair, as portas tinham uns vitrais lindissimos, mas o prédio está a ficar tão degradado com mau aspecto, que fico admirada como é que organismos publicos deixam chegar a este ponto os seus imóveis de valor arquitectonico incalculavel. Gastam tanto dinheiro mal gasto, podiam investir tanto na criação de emprego nestas áreas como em recuperar este patrimonio lindissimo, que até era uma mais valia para as cidades, para o cidadão e para o turismo.

Fiquei empolgada, que não me calo.

Beijinhos.

Cláudia M. disse...

É mesmo uma situação deplorável, centenas de prédios ao abandono ou em vias disso, em pleno centro da capital de um país, é uma vergonha para todos nós, mas principalmente para os "responsáveis" políticos.

Claro que vêm sempre com o argumento de que a culpa é dos proprietários, e tal e coisa, mas então mudem a legislação! Se os donos não podem ou não querem tratar dos seus prédios, então alguém tem que o fazer.

Aqui em Alverca andam numa azáfama a arranjar muros e murinhos, canteiros e etc., devido às eleições, claro, mas pelo menos sempre vão fazendo alguma coisa...

bjs

Heloísa disse...

Isabel,
Isso é muito triste, mesmo. Sinto o mesmo que você quando vejo, por aqui, a mesma situação. Embora nossa nação seja relativamente nova, também tem seus prédios históricos.
Em Santos, onde vivo, a Prefeitura Municipal instituiu um programa interessante, que dá incentivos fiscais, além de orientações arquitetônicas, aos proprietários que querem restaurar suas casas antigas, na zona central.
Com isso, muita casa já foi restaurada, e o centro antigo de Santos tem servido de cenário para filmes e novelas de época.
Beijos.

Inside me disse...

Pois mas não é facil...

Alguns são predios particulares, outros não...

... em alguns casos alguem espera que eles caiam... para alguem autorizar a construção de um condominio novo sem hiistoria alto e caro.

... enfim esperemos que melhores dias venham...

e que os responsaveis se dediquem menos a touradas... :-)

beijo

ameixa seca disse...

Eles andam muito ocupados a fazer corninhos e a mandar bocas uns aos outros na assembleia. Depois metem-se nos carros que têm aqueles vidros negros como breu e não conseguem ver o mundo cá fora. Se visse, se calhar tinham que ir ao psicólogo e aí, eu não estaria desempregada. Não sei se estás a ver onde quero chegar?! :)
Há tanta gente desalojada a viver nas ruas, tantos jovens sem dinheiro para terem a sua casa... parece incrível que deixem o nosso património morrer aos nossos olhos!

Dani disse...

No Porto, como disseste, há também muitas propriedades neste estado de abandono. É de cortar o coração. Se não me engano - e eu posso estar enganada porque minha cabeça não anda lá muito boa, hehe - havia conversas de estímulos financeiros para quem quisesse restaurar estes edifícios na região central portuense. Gosto de pensar que estas propriedades sejam colocadas em bom uso, mas acho que a tendência é que sejam gentrificadas, ou seja, que caiam nas mãos de empresários que vão superfaturar o seu valor, a ser pago por turistas estrangeiros. É isto que me mete medo, que a beleza se transforme em mero capital. Já disse alguém que o turismo é a nova forma de colonialismo.
Beijos,

Claudia disse...

Isabel,

uma hora os prédios pegam fogo e aí tudo se perde. Acontece direto, não? No Brasil também demanda um esforço público muito grande para garantir a preservação de prédios antigos. Mas uma empreiteira privada poderia comprar sem impostos, restaurar e vender a peso de ouro os apartamentos e depois de vendidos repassar para a cidade de Lisboa os impostos devidos. No Brasil fazem assim em algumas cidades para evitar a perda de prédios.

Bj,

C.

Isabel disse...

Olá Conceição, que bom saber que concordas comigo. É terrível o estado de abandono em que está o património das nossas cidades não é?

Sister, tens razão é uma vergonha para todos nós!

Heloísa, aqui também já fizeram alguns programas de incentivo à recuperação. Ultimamente que eu saiba não existe nenhum programa, mas a Câmara (Prefeitura) ficou falida com um presidente megalómano que lá esteve e agora não tem dinheiro para nada!!!

Inside, já vi muitos prédios que são propriedade municipal no mesmo estado de abandono, mas a câmara está falida não pode fazer muito! É uma desgraça o estado a que a Câmara Municipal de Lisboa chegou!

Cláudia, para evitar o risco de incêndio é que as portas e janelas foram fechadas com tijolo como se vê nas fotos, porque quando estes prédios ficam vazios são normalmente ocupados por toxicodependentes que provocam muitos incêndios. Um incêndio numa zona histórica de Lisboa pode ser uma verdadeira tragédia, porque começa num prédio e leva tudo atrás.
Existem vários sistemas que resultaram no estrangeiro, não entendo porque não são postos em prática aqui!

Bjs a todos

Isabel disse...

Dani, eu também gostaria que os prédios fossem requalificados para habitação e não para turismo, mas nalguns casos o turismo é a única forma de recuperar o património.
Em Espanha, por exemplo, todos os castelos foram recuperados e transformados em pousadas, podemos questionar, mas foi a única forma que encontraram para manter esse património que se estava a perder.
Bjs

Isabel disse...

Ameixa, os nossos políticos vivem afastados da nossa realidade, vivem nos seus condomínios privados de luxo com vista para o mar e não querem saber como vive o cidadão comum ou em que estado está o nosso património.
Bjs

leonor de sousa bastos disse...

Olá Isabel!

É lamentável, mas estas situações são o "prato do dia" em Portugal.
Eu vivia no Porto e também há imensas zonas com prédios super bonitos e cheios de história que se vão deixando cair aos poucos.

Aqui em Palma as coisas são completamente diferentes e os edifícios são cuidados e preservados de uma forma como nunca tinha visto.
Há uma preocupação enorme em tornar a cidade mais harmoniosa e e ao mesmo tempo que se mantém os edifícios antigos, constroem-se os novos respeitando um plano rigoroso de arquitectura.

Precisamos de mais amor próprio e de uma grande dose de cultura!...infelizmente os campeonatos de futebol, os autódromos ou os morangos com açúcar continuam a estar na nossa lista de prioridades!

Beijo!

Maldonado disse...

Isso não acontece só em Lisboa, também no resto do país.
Como a maioria dos proprietários desses prédios devolutos não têm dinheiro para restaurá-los, preferem deixá-los cair de podres e depois investir num empreendimento imobiliário, pois é mais rentável.
É vergonhosa a especulação imobiliária em Lisboa!



PS: Espero que tenhas gostado daquelas músicas do meu tasco... ;)

Isabel disse...

Leonor, não existe neste país uma política de manutenção e recuperação do património como existe em Espanha, aqui o que reina é mesmo o futebol e os autódromos: festa para os tolos andarem contentes e não criticarem nada!

Maldonado, tens razão a especulação imobiliária é terrível, em Lisboa e não só.
Em relação à música sul-africana algumas músicas até conhecia, outras não, mas adorei a voz da Miriam Makeba!