sábado, 30 de janeiro de 2010

Reflexões sobre um aperto de mão

Eu gosto de um aperto de mão firme. Não necessariamente aquele que nos esborracha a mão ou aquele que nunca mais nos larga. Mas um simples aperto de mão com firmeza, que transmite confiança.

Aquele aperto de mão frouxo, mole, que quase não passa de um simples toque, não me diz nada. Deixa-me com uma sensação de desconforto e não me inspira confiança. E às vezes precisamos mesmo de confiar nas pessoas para tomar grandes decisões.

5 comentários:

Cláudia M. disse...

Sei de quem estás a falar, eu senti o mesmo. :) Bastante desconfortável!

Concordo que um aperto de mão pode (e deve) transmitir calor humano e confiança.

Gina disse...

Timidez, insegurança, falta de afetividade... Quanta coisa pode estar por trás de um simples aperto de mão!
Tão desagradável quanto o apertado demais!
Bjs.

ameixa seca disse...

Também eu, embora seja mais de beijinhos. Mas chateia-me aqueles que nos estendem a mão mas parecem afastá-la ao mesmo tempo, tocando na nossa só com as pontinhas dos dedos. Nessas pessoas não consigo confiar nem sequer ter empatia com elas.

pat disse...

Acho exatamente a mesma coisa. Antes, pensava que não havia nada pior que um aperto de mão mole, esquisito. Até o dia que um professor, ao ser apresentado, quase lesou a minha mão - tenho dores até hoje.
Bom mesmo é aquele aperto de mão firme, amigável, como vc descreveu.
Bjs.

Beth/Lilás disse...

Oi,Isabel!
Também acho assim, não suporto mão mole num primeiro encontro nem pessoas que não olhasm nos olhos, ficam cabisbaixas, parecem esconder muita coisa.
bjs cariocas