segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

O regresso ao forno e a Santiago

Há séculos que não tinha vontade de fazer doces. Andava sem força para nada e os doces ficaram no fundo do fundo da lista de coisas para fazer. Durante um período tive que virar-me para dentro e apenas descansar. Descansar corpo e mente que pediam socorro cada vez mais alto. Então desliguei e descansei. Dormi muito, tudo o que o corpo pediu e no fim não restou tempo para quase mais nada.

Um dos sintomas de que estava a ultrapassar o breakdown, foi a vontade de voltar a fazer um docinho. Andava eu a passear pelo Café da Sereia quando umas tartes que vi por lá me despertaram uma imensa vontade de ir para a cozinha. Lembrei-me então da Tarte de Santiago, que já há muito tempo tinha visto também num dos blogs desta amiga virtual.

A primeira coisa que fiz foi procurar nas minhas tralhas as fotos e recordações das minhas viagens a Santiago de Compostela. Aí a vontade tornou-se ainda maior e lá fui eu para a cozinha.


Esta tarte é a coisa mais fácil de fazer que vocês possam imaginar.

Ingredientes para a massa:
  • 5dl de óleo de girassol
  • 5 cl de leite
  • 100 gr de farinha
  • 25 gr de açúcar
  • pitada de sal
Ingredientes para o recheio:
  • 4 ovos
  • 200gr de açúcar
  • pitada de canela
  • raspa de limão
  • 200 gr de amêndoas em pó
  • açúcar glacé
Preparação:

Misturar o óleo, o leite, a farinha, o açúcar e o sal até obter uma mistura homogénea. Envolver em película aderente e deixar repousar 30 minutos.
Estender numa tarteira untada com manteiga.
Para o recheio, bater os ovos com o açúcar, a canela e a raspa de limão até que estejam bem cremosos.
Ligar o forno a 180º C. Juntar a farinha de amêndoas ao creme e misturar bem. Levar ao forno por aproximadamente 40 minutos. Polvilhar com açúcar glacé.
Para fazer a forma da espada de Santiago imprimi e recortei a espada para utilizar como molde.



 
Fica uma delícia e é super fácil. E foi uma boa desculpa para recordar ótimos momentos passados em Santiago de Compostela, com pessoas que me marcaram muito, apesar de agora já não fazerem parte da minha vida.



Para terminar só uma nota linguistíca: uma diferença entre português europeu e do Brasil; o que nós chamamos de tarte, os brasileiros chamam de torta, o que nós chamamos de torta os brasileiros chamam de rocambole. Corrijam-me se estiver enganada :)

10 comentários:

Chica disse...

hmmmmmmmmmmmm....deve ser deliciosa!beijos,linda semana!chica

Cláudia M. disse...

É mesmo deliciosa, eu sou testemunha. :)
A sério, é uma maravilha, hei-de fazer um dia destes. Adorei o saborzinho do limão!

Noémia disse...

Não sei se gostei mais do aspecto dessa tarte se de saber que te sentes melhor e até já te apetece cozinhar. Yuuuupiiiii! Parabéns! :)

Heloísa disse...

Oi, Isabel,
Que bom que voltou sua vontade de fazer coisas doces.
E essa torta deve ser muito gostosa mesmo.
Já fiquei com vontade de experimentar.
bjs

Cenourit@ disse...

Adorei a tarte e até me "esticava" agora com uma fatia, mas acho que adorei ainda mais a tua vontade, depois do necessitado descanso!

Muitas beijocas*** e saudadinhas;)

Dani disse...

:-))))

Olha, fizeste a tarte (torta) com uma base, nunca a tinha feito assim - é como as outras que fiz, mas a de Santiago faço só o recheio! E fizeste até a cruz, que graça!
O aspecto está ótimo, e nada com um docinho assim para quebrar a monotonia invernal.
Sim, o que vocês chamam de torta é o que chamamos de rocambole.
Que saiam mais tartes desse forno :-)

Beijos!

Beth/Lilás disse...

Oi, amiga!
Senti o gostinho desta delícia na ponta da língua e fiquei olhando e quase babando. kkkkkkkk
beijos e saudades

Pitanga Doce disse...

Olá Isabel. Vim pelas mãos da Beth/Lilás e não e´que o comentário vai ficar abaixo do dela?

Olha, aí, lá pelos lados da Beira Alta também chamam à torta (rocambole) o tronco. Pelo menos no Natal era.

Se quiseres conhecer a minha árvore serás muito benvinda e vais encontrar muita gente boa daí.

Abraços pitangueiros

Anónimo disse...

Olá! Não sei se você receberá esse comentário. Mas estou tentando escrever aqui. Eu cheguei até sua página na internet digitando Georgiana duquesa no google. Você comentou sobre o filme e colocou uma pintura dela. Enfim, gostei de ler as coisas que você escreve. Um abraço direto do Brasil! Paula.

Ricardo Matos disse...

Experimentei fazer na bimby! vou agora polvilhar com o açúcar!querem a receita?cumps