sábado, 6 de setembro de 2008

O amor

Como me interesso por tradução, tenho sempre a curiosidade de ver o título original dos filmes e quase sempre apanho um susto com a versão portuguesa. Os títulos nem sempre são da responsabilidade do tradutor do filme, mas sim do distribuidor que pretende vender o filme e chamar o público com títulos sonantes. É aqui que entra o amor. A quantidade de filmes que não têm a palavra amor no título original e têm na versão portuguesa é enorme. Por exemplo:
Lost in translation - O Amor é um Lugar Estranho
Prime - Terapia do Amor
In my country - Um Amor em África

Estes são apenas alguns exemplos. Vi recentemente este último e acho que o amor que surge entre os protagonistas é apenas um pequeno detalhe no filme que, na realidade, é sobre o período de reconciliação nacional pós-Apartheid na África do Sul e sobre como tanto os brancos como os negros sentem o país como sendo a sua terra. Um Amor em África não capta de maneira nenhuma a essência do filme como faz o título original. Pelos vistos, em Portugal, o amor vende.

2 comentários:

Cláudia M. disse...

Oh, l'amour!!
Pois é, aqui há a mania de pôr títulos bombásticos nos filmes, então os de acção é uma desgraça, é cada título, que é de fugir... até parece que são escolhidos pelos responsáveis pelo 24 horas...

Cláudia M. disse...

Isto vem a propósito de um post + antigo: ontem vi o filme "Tróia" e, de facto, a n/ amiga A. tem razão qto ao tal do Eric Bana: ele, de facto, é, como direi... interessante! Gostei do filme, apesar de toda a violência, o que era inevitável, dada a temática.
E vá lá, não lhe chamaram «Amor em Tróia»!!!