quarta-feira, 10 de junho de 2009

É só para lembrar que hoje...

...é Dia de Portugal...



...de Camões...


... e das Comunidades Portuguesas.

Pois é, hoje é o nosso dia nacional e não quis deixar esta data em branco.

Dei largas à minha veia de historiadora e de politóloga e deu nisto:

Em 1128, D. Afonso Henriques assume o comando do Condado Portucalense. Mas só em 1179, o Papa Alexandre III aceitou D. Afonso Henriques como rei e o território do anterior Condado Portucalense como Reino de Portugal. Portugal é assim o país mais antigo da Europa, com isto queremos dizer que é o único país da Europa que estabeleceu as suas fronteiras definitivas em 1267 e que manteve essas fronteiras até hoje (pronto Olivença, não conta!). Feito único nesta Europa que ainda recentemente criou novas fronteiras.

Temos portanto uma história muito antiga como país. Fizemos coisas das quais nos envergonhamos, fizemos coisas das quais nos orgulhamos. E hoje parece-me que a auto-estima da nação está muito em baixo. Só quando olhamos para o passado sentimos orgulho do nosso país. Todos nos dizem que temos que construir hoje um Portugal do qual nos podemos orgulhar. Dizem-no os políticos, dizem-no os filósofos, dizem-no os intelectuais. Mas ninguém passa da ideia à prática. Enquanto não se investir a sério na educação e formação profissional da população e enquanto não se investir a sério na recuperação do património histórico, cultural e natural não se dá a volta aos problemas económicos e não seremos o país que todos nós queremos ser. Falta construir uma base de estabilidade forte. Às vezes tenho a sensação que estamos sobre areias movediças, que nos faltam os alicerces para construir neste país a sociedade que merecemos.

De que nos serve termos sido durante um curto período da história uma potência mundial se hoje não se vive bem em Portugal, se as populações estão descontentes, se há uma enorme descrença nas capacidades da classe política para resolver os problemas?

Eu tenho muito orgulho de alguns períodos da nossa história. Agora que estamos a apurar as 7 maravilhas de origem portuguesa no mundo, fico maravilhada ao descobrir as maravilhas que construímos por esse mundo fora. Mas também quero ter orgulho do meu país no presente, na forma como se vive no meu país no presente. Queria uma sociedade mais igualitária, mais próspera, um património examplarmente preservado, uma natureza preservada e respeitada. E infelizmente ainda não tenho.
Bem, não quero acabar com uma nota de pessimismo, por isso confesso que tenho esperança que isto ainda vai lá! Nós temos muitas capacidades, temos muitas possibilidades em aberto e temos uma bela matéria prima, o nosso lindo país e o nosso povo.

Para terminar vou colocar aqui um soneto do nosso poeta renascentista, pois hoje é também o seu dia:

Tanto de meu estado me acho incerto,
que em vivo ardor tremendo estou de frio;
sem causa, juntamente choro e rio,
o mundo todo abarco e nada aperto.

É tudo quanto sinto, um desconcerto;
da alma um fogo me sai, da vista um rio;
agora espero, agora desconfio,
agora desvario, agora acerto.

Estando em terra, chego ao Céu voando,
num'hora acho mil anos, e é de jeito
que em mil anos não posso achar um'hora.

Se me pergunta alguém porque assi ando,
respondo que não sei; porém suspeito
que só porque vos vi, minha Senhora.

Luís Vaz de Camões, 1525-1580

13 comentários:

Monica Loureiro disse...

É sempre hora de aprendermos com os erros e nos reinventarmoss....
Aqui no Brasil também temos muuuuuuuuuuito a melhorar..
Que bom ter vindo aqui !

Luciana Håland disse...

Parabéns pelo dia!
O mundo todo tem que melhorar, então cabe bem o nome do seu blog nessa situacao: vai melhorar...
Mas hoje comemore a data.
beijo

Maldonado disse...

Gostei muito do teu post. A tua análise é bastante acutilante.
Para o país melhorar, o povo tem que mudar de mentalidade, coisa que este não está disposto a fazer, por isso cada vez mais continuamos distantes da Europa e do mundo. :|
Bom feriado!

ameixa seca disse...

Não podemos viver do passado, das conquistas já feitas... temos que pensar que hoje podemos fazer história. É hoje que interessa, pena que quem governa este país só se lembre de Portugal no dia 10 de Junho... nos outros dias só pensam em amealhar para eles mesmos!

Cláudia M. disse...

Pegando no comentário da Ameixa, se bem que não podemos viver do passado, tb não podemos nem devemos esquecê-lo. Pertencer a um povo é isso mesmo, é ser fruto de toda essa herança histórica e cultural, e a nossa é bem rica.
Claro que presentemente a situação deixa muito a desejar, mas tocaste na ferida: faltam-nos alicerces! De certo modo deixámo-nos "abandalhar", grande parte dos fundos europeus infelizmente foram para encher os bolsos de uma dúzia de oportunistas, em vez de terem sido aproveitados para modernizar e melhorar o país, e é mto natural que a populaçao esteja descontente com a classe política, já que são mais os que se querem encher do que aqueles que de facto querem que o país vá para a frente! Não foi por acaso que houve mais de 60%de abstenção nas eleições.
Mas não podemos estar à espera dos políticos, eles já demonstraram a sua incompetência... é hora de todos nós deitarmos mãos à obra e cada qual tentar fazer a sua parte o melhor que puder e souber.

Pati disse...

Quanta informação que eu não sabia Isabel! Obrigada pela aulinha de história! Demais!
Parabéns para Portugal! Quero muito conhecer est país, que entre seus feitos, descobriu o Brasil né!?!!!!
beijo grande
Pati

Heloísa disse...

Isabel,
Também aprendi com seu post. E as fotos estão lindas, bem de acordo com a beleza de Portugal. Parabéns pela data, e que você possa, cada vez mais, sentir orgulho de sua pátria.
Beijo

Claudia disse...

Isabel,

linda postagem. Eu amo Camões e amei ler o poema e as fotos são lindas.

Como todo ex-império Portugal vive uma crise de identidade mesmo, mas pessoalmente acho que numa comparação com outros ex-impérios acho que Portugal pode se orgulhar (tá, meus amigos angolanos e moçambicanos que não me ouçam!) da maior parte da sua história. Os acertos, acho eu, foram em maior número do que os erros...

Beijos,

Claudia

Sofia disse...

Gostei, aprendi e até relembrei algumas coisas...
Gostei do teu cantinho, n tenho este vosso dom de tão bem saber conjugar as palavras mas ando por cá tambem a partilhar e a guardar em suporte virtual, pequenos momentos da minha vida...
descobri-te, assim sem querer, no blogue do Maldonado...

Bjs e hei-de passar por cá mais vezes... ;)

Noémia disse...

Bem, também tenho que vir cá deixar a minha "colherada"!
Primeiro gostei imenso da palavra politóloga!Gostei também de tudo o que disseste.
Depois, somos um povo com características muito sui generis que se tem vindo a degradar em todos os aspectos.
Gostamos de dizer mal de tudo e de todos,repara que somos peritos em todas as matérias, desde o futebol (criticando os treinadores, jogadores) à política.
Somos dez milhões de opiniosos e zero em atitudes!
- Este é um dos problemas.
- Outro é a perda de valores e princípios.
-Outro ainda é a falta de educação!
Vivemos encerrados num egoísmo feroz, olhando e cuidando apenas do nosso umbigo, incentivados pelo consumismo desenfreado e pela política do facilitismo, « quero tudo e já». Os midia vendem-nos a imagem de que temos direito a tudo e rapidamente e é lícito passar por cima de quem seja necessário, pai, amigo ou desconhecido!
Esperamos que os governantes mudem tudo e dizemos mal deles ( com muita razão) mas esquecemo-nos da nossa parte.
Vivemos deprimidos, mal dispostos, violentos e disparatamos de manhã à noite com quem se atravessa no nosso caminho. Somos os " Chicos espertos" na fila de trânsito, na fila do supermercado, na fila da vida...
E depois queremos que as coisas melhorem. Sem espírito de sacríficio e sem trabalho.
Bom fim de semana!:)

Isabel disse...

Monica e Luciana, é isso mesmo, o mundo todo tem que melhorar. Vamos melhorando um pouco cada dia.
Bjs

Maldonado, a mentalidade está tão enraízada que é o mais difícil de mudar, é por isso que eu acho que a educação tem um papel importantíssimo numa sociedade. E enquanto não se investir na qualidade da educação, nada feito!

Ameixa, é isso, temos que construir nós o presente todos os dias, não podemos deixar tudo nas mãos dos políticos, porque tb já percebemos que eles não resolvem as coisas!

Maninha, estás inspirada: "Pertencer a um povo é isso mesmo, é ser fruto de toda essa herança histórica e cultural, e a nossa é bem rica."
Falou e disse!

Pati e Heloísa, a história é importante, não é? Sem compreender o passado não dá para compreender o presente.

Cláudia, obrigada. É certo que outros países europeus fizeram pior, mas acho que tens razão num aspecto, os países africanos foram os que sofreram mais. Infelizmente, o processo de descolonização foi muito tardio e muito repentino e as coisas não correram como deviam.

Olá Sofia, bem-vinda e volta sempre. Agora essa de saber conjugar bem as palavras, well... nem por isso, mas faz-se o que se pode!

Noémia, fizeste uma análise muito perspicaz e infelizmente muito realista dos nosso defeitos. O pior é mesmo esperarmos que os outros façam tudo por nós.

Bjs a todos, adorei os vossos comentários, voltem sempre.

Cláudia M. disse...

O meu aplauso para a Noémia:

Noémia à presidência! Ah valente!!

:)

Abóbora Amarelinha disse...

Ui! tens uma veia com uns nomes muito estranhos.
beijinhos e bom fim de semana.