quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Arrependimentos

Quando olho para a vida que já vivi, tenho sempre alguns arrependimentos, penso que algumas escolhas não foram as melhores, e que se voltasse atrás talvez fizesse de outra maneira. Por isso sempre me fez alguma confusão aquelas frases "não me arrependo de nada na minha vida" ou "voltava a fazer tudo outra vez", que ouço tantas vezes. Mas talvez estas frases não tenham a arrogância que eu lhes atribuia, talvez apenas sejam a forma de a pessoa expressar o facto de o passado estar lá atrás e não haver nada a fazer para o mudar. Agora, chegados ao momento presente, não adianta estar arrependido, temos que aprender com os erros passados e tentar não os repetir no futuro.

Ou será que estas pessoas simplesmente estão a dizer que nunca cometeram erros na sua vida, que todas as decisões foram as melhores, que a sua vida foi perfeita? Não acredito em vidas perfeitas, por isso, continuo a dizer que me arrependo de algumas coisas e que, se pudesse algumas escolhas seriam diferentes. Mas isso não quer dizer que eu não olhe para o meu passado com tranquilidade. Eu aceito as minhas escolhas, mesmo as más, porque tenho que me aceitar como sou hoje.

O que me fez pensar neste assunto foi a série Erica, uma série canadiana, em que a personagem principal volta ao passado para tentar resolver os erros que acha que cometeu. Estas viagens ao passado só servem para ela perceber que se fez aquelas escolhas é porque tinha que as fazer. A certa altura Erica diz " somos a soma das nossa escolhas". E é tão verdade. Essas escolhas ajudam-nos a ser quem somos, tenham sido boas ou más escolhas, ajudaram-nos a crescer e a formar o ser que somos hoje.

E vocês? Arrependem-se de alguma coisa ou fariam tudo outra vez? Se quiserem dêem-me a vossa opinião.

A Ameixinha presenteou-me com este selinho mágico e com um pequeno desafio. Como acho que a vida de vez em quando precisa de um pouco de magia, aqui está ele. Obrigada Ameixa.


Uma música mágica: "Don't give up" Peter Gabriel e Kate Bush

Um filme mágico: "Sleepy Hollow", ou "A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça", um exemplo do imaginário mágico de Tim Burton.

Uma viagem mágica: Escócia

Maquilhagem mágica: well...... raramente uso, mas se vernizes forem considerados maquilhagem, muitos e de cores fortes para o pézito e um básico incolor para a mãozita :)

14 comentários:

Liliana disse...

Minha querida Isabel.

Imagine que eu afirmei num dos meus posts, precisamente, que, se voltasse atrás, não mudava uma vírgula... Eis o que quero dizer (e o que penso que as pessoas querem dizer quando fazem essas afirmações): se eu mudasse alguma coisa do que fiz no passado (e acredite que fiz muitas asneiras), hoje não seria a mesma pessoa que sou, a minha vida seria completamente diferente. Ora, a minha vida não é propriamente incrível, mas não sei se gostaria que fosse diferente.

Portanto, as pessoas não querem dizer que nunca erraram, quando afirmam que não se arrependem de nada, simplesmente querem dizer que não gostariam de ser diferentes e que gostam da sua vida tal como ela é, como a fizeram.

Beijinhos

Cláudia M. disse...

Eu arrependo-me de algumas opções que fiz e se pudesse voltar atrás e alterar alguma coisa, em alguns casos tomava mesmo opções diferentes, isso sem dúvida.
Na minha opinião, uma certa dose de arrependimento é salutar, é sinal de que sabemos reconhecer os nossos erros. Há é que encontrar o equilíbrio entre o reconhecimento do erro e a recriminação que possamos fazer a nós próprios pelas más opções. Claro que não é nada saudável andarmos constantemente a dizer a nós próprios que devíamos ter feito desta maneira ou daquela, devemos é tentar tirar partido do erro.
E algumas pessoas fazem mesmo esse tipo de afirmações com arrogância, com ar de quem nunca fez nada errado.
Compreendo quem diz que não mudava nada, mas eu só posso falar por mim, e eu mudava algumas decisões, SE PUDESSE. A questão é que não posso!! Portanto, não adianta nada viver amargurada por isso...

tchiiiii... será que devo arrepender-me de ter escrito tanto? :)

Dani disse...

Arrependo-me de várias coisas. De ter passado tempo demais num certo relacionamento. De ter planeado a minha vida académica e profissional sem nenhum planeamento, de ter ficado quatro anos num trabalho que avariou o meu curriculo, e outras coisas por demais doloridas para serem publicamente citadas.
Arrependo-me, mas não fico a pensar muito nisso. Tento, agora, remediar o que pode ser remediado e aceitar o que não tem volta.
Acho o a arrependimento importante para não repetir certos erros, sabe. É bom pensar no que teria sido diferente e tentar mudá-lo daqui adiante.
Mas, bola para frente, que de leite derramado ninguém sobrevive.
Um beijo,

Heloísa disse...

Isabel,
Eu também tenho o sentimento de que tudo tem sentido, e que sou a soma das minhas escolhas. Mesmo as que não foram certas, acabaram trazendo bons resultados. Lamentar o passado, penso que não leva a nada. Aproveitar a experiência, sim.
Por outro lado, acho que é importante reconhecermos quando estamos numa situação inadequada (que tenha sido por nós escolhida) e procurarmos sair dela. Procurar novos caminhos e até novos comportamentos.
Beijos.

Liliana disse...

Viagem mágica: Irlanda
Música mágica: More Than Words, Extreme
Filme mágico: Chocolate

Moira disse...

Isabel,
Eu também sou daquelas que digo que se voltasse atrás faria tudo igual, isso não quer dizer que não me arrependa de algumas das coisas que fiz ou de decisões que tomei, no entanto foram essas escolhas e essas decisões que fizeram de mim o que sou hoje, e disso eu nunca me poderei arrepender. Também não faz de mim uma pessoa perfeita, mas será que há pessoas perfeitas?
Música Mágica: "Protege Moi" dos Placebo
Filme Mágico: "Lendas de Paixão" de 1994, realizado por Edward Zwick, recebeu um óscar por melhor fotografia
Viagem Mágica: Itália, é um regresso ao passado por cidades, vilas e aldeias, todas elas mágicas, recomendo pois eu já fui e fiquei maravilhada
Maquilhagem Mágica: Todas, porque eu não uso nenhuma
Beijocas
moira

ameixa seca disse...

Ando a pensar neste assunto há alguns dias exactamente porque oiço muito boa gente a dizer que não se arrepende de nada. Pois eu arrependo-me de muita coisa e faria muita coisa de forma diferente, tenho certeza que vou continuar a arrepender-me de coisas que ainda vou fazer. Espero é não me arrepender da ida a Lisboa he he
Já dizia Oscar Wilde "Experiência é o nome que damos aos nossos erros" e eu preferia ter menos experiências más na minha vida :)

Isabel disse...

Amigas, adorei as vossas opiniões. Adoro quando este blog se transforma num local de partilha de opiniões e de experiências. É bom porque vamos aprendendo uns com os outros.
Bjs

Beth/Lilás disse...

Oi, Isabel!
Pois eu ultimamente tenho um arrependimento, ou melhor, se pudesse voltar aos meus tempos de mulher jovem, escolheria ter mais de um filho. Fiquei com medo de estar velha com 33 anos e hoje vejo que fui boba, tem tantas mulheres nesta faixa e até mais optando por terem filhos mais velhas.
Só isso mesmo!
beijos cariocas

Noémia disse...

Eu sou das que digo que se voltasse atrás repetiria tudo, igual.
Não o digo por arrogância, por ter uma vida perfeita ou por ter feito sempre as escolhas correctas (sabes bem que não as fiz).Digo-o porque tudo o que vivi serviu para construir a mulher que hoje sou. Os erros, as ilusões e desilusões, as derrotas e as vitórias, as alegrias, o sofrimento, as más experiências, os amores e desamores, os amigos que ganhei e que perdi, as palavras e os gestos ditos ou omitidos, a impotência, as lutas travadas ingloriamente, os tropeções, o cair e morder o pó do chão, o levantar e construir de novo com as lições aprendidas...E, ao olhar para trás,para todo o caminho andado, sentir-me uma mulher feliz, feliz!
Poderia querer mudar fosse o que fosse? :)

Luciana Håland disse...

Muitas experiências que passei e pessoas que eu conheci eu dispensaria numa boa, mas olhando pra trás e vendo tudo que aprendi diria também que faria igual, pelos motivos que você mencionou e ainda pelo que aprendi com tudo, e isso me ajudou a ser quem sou hoje e fazer escolhas melhores e ter experiências mais gratificantes.
Erros acho que todo mundo comete, e é muito salutar, a gente vem mesmo pra essa vida pra aprender, errar e aprender com o erro, tentar acertar, talvez errar de novo, e ir aprendendo mais e mais, nos fortalecendo, caindo e levantando, assim acredito que é a vida.
Não acho que a frase de dizer que não nos arrependemos do que fizemos seja esnobe, na maioria dos casos, nem tenha a ver com nao ter cometido erros, mas mais em ter adquirido experiências.
Ontem eu estava pensando exatamente nisso, e não me arrependo do que fiz, mas me arrebendo ainda de oportunidades que deixei passar, coisas que deixei de fazer, geralmente pela família pegar no pé, essas coisas.
Beijo

Claudia disse...

Isabel,


Eu acho que o processo do crescimento é saber assumir as escolhas certas e erradas. Claro que todos erramos e errar significa fazer escolhas erradas em algum momento e não se arrepender de nada é não assumir que errou e que errar faz parte da vida.

Eu me arrependo de milhões de coisas, milhões, desde o começo da minha consciência até hoje. Um dos muitos arrependimentos, se eu pudesse faria outro curso universitário, teria cursado geologia e não história. E os erros de escolha foram muitos.

Sabe que penso sempre numa máxima do universo da ficção-cinetífica onde a vida não vivida toma forma num mundo paralelo o qual, toericamente, sentimos a existência na vida presente. Maluquice ficcionais mas acho que no fim é normal pensar na vida que não foi, e o conflito entre o arrependimento e a vontade de justificar a existência do jeito que foi vivida. Entre o que é e o que poderia ter sido.

Eu acho que se voltasse ao passado ia mudar muitas coisas mas ia repetir outras tantas do jeito que está hoje...

Bj.

C.

im disse...

Vou ter que responder com essa frase que muita gente julga arrogante, mas não me arrependo de nada que fiz...não me arrependo porque naquele momento foram as minhas escolhas e se as tomei foi porque naquele momento era o que achava que devia ter feito. Não me arrependo. Se mudava algumas das escolhas que fiz, obvio que sim, neste momento mudava algumas escolhas, algumas atitudes, mudadava algumas coisas no meu passado pela simples razão que já não sou a mesma que mudei e como tal a minha prespectiva seria outra. Mas não me arrependo...uma vez li e fixei a seguinte frase: "O arrependimento é de todas as coisas humanas a mais inutil", não sei quem foi o autor, mas concordo plenamente...

Gostei do blog...

Beijos

Inside me disse...

Costumo dizer que não em arrependo de nada...mas...

Claro que dito assim,parece querer dizer que repetiria tudo igualmente... sim repetiria tudo...

Excepto claro se soubesse na altura o que sei hoje.

Quando fazemos uma escolha, escolhemos a direcção, escolhemos uma vida... das multiplas vidas que podemos viver consoante as opções que escolhemos...

Arrependido não... mas tendo vivido um caminho...e com o que sei hoje, fica-nos sempre e se eu tivesse ido por ali...

O nosso caminho é feito de escolhas com base no que sabemos no momento, não com o que saberemos no futuro.

Beijos