domingo, 21 de dezembro de 2008

Natal

Senti vontade de fazer um post sobre o Natal, de falar sobre as tradições associadas a esta época, daquilo que me faz vibrar com o Natal. Sempre gostei do Natal, desde criança, não só por causa das prendas, mas também por todo o ritual de fazer a árvore de Natal e o presépio, o que sempre foi um grande acontecimento em minha casa. Sempre gostei também do ritual de ir ver as iluminações de Natal à Baixa, de combater o frio desses passeios com umas castanhas assadas compradas aos vendedores de rua.
Azevinho

Hoje, que já penso um bocadinho mais sobre a origem das coisas, gosto do Natal porque é a comemoração do nascimento de Jesus e gosto do Natal porque incorpora até hoje tradições pré-cristãs da celebração do solstício de Inverno.
Em Portugal, em muitas aldeias, na noite de 24 de Dezembro juntam-se as duas tradições: acende-se uma grande fogueira comunitária e vai-se à Missa do Galo. A fogueira é uma reminiscência das antigas celebrações do solstício de Inverno, onde se celebrava a luz na mais longa noite do ano, pois a partir dessa noite os dias começam a ser maiores e ressurge a luz. A tradicional Missa do Galo é a celebração católica do nascimento de Jesus.
Sabe-se hoje que a comemoração do nascimento de Jesus a 25 de Dezembro é simbólica porque aparentemente, não foi essa a época do ano em que Jesus nasceu. O que é certo é que foi esta a época escolhida nos primeiros séculos da nossa era, talvez por ser uma época de celebrações do solstício de Inverno, tanto nos povos não colonizados pelos romanos como no próprio Império Romano. Na Roma antiga, a 25 de Dezembro realizava-se o festival em honra do Deus Saturno, que se chamava precisamente Sol Invictus, por ser na altura do ano em que os dias começam a ser maiores. Todos estes elementos se conjugam no que é hoje o Natal e esta mistura de culturas dos quais somos fruto só nos enriquece.
O Natal actual tem assim elementos de várias tradições, da cristã, da cultura europeia pré-cristã e até da antiguidade Greco-Romana. Por exemplo hoje usa-se o azevinho aqui na Europa como elemento de decoração natalícia e descobri agora que o azevinho já era usado nessa antiga celebração romana do Deus Saturno.
Nos Estados Unidos usa-se o famoso mistletoe (visco, em português) que se põe à entrada das casas e que já se utilizava nas antigas celebrações celtas como elemento que traz a felicidade e o amor. Daí o tradicional kiss under the mistletoe que tanto vemos nos filmes americanos.

Mistletoe -Visco

As iluminações de Natal estão também relacionadas com essa ancestral necessidade de luz que os povos do norte têm nesta fase do ano, em que os dias são bastante mais curtos. Será também uma espécie de boas vindas ao sol que volta a vencer e a iluminar cada vez mais os nossos dias a partir desta data? Em todos os países da Europa as cidades esmeram-se nas iluminações de Natal nesta época. Na Áustria as velas brilham nas janelas das casas. As noites de inverno tornam-se assim mais luminosas e quentes.


Neste Natal apeteceu-me também falar sobre gastronomia. Apesar de não ter um blog de culinária, sigo muitos blogs dedicados a esse tema porque é um tema que me fascina, principalmente as receitas de doces. Adoro pastelaria e resolvi falar também das tradições da pastelaria de alguns países nesta época natalícia. É curioso como em vários países da Europa existe um bolo típico de Natal com frutos secos e frutos cristalizados. Na Alemanha, por exemplo, o bolo tradicional de Natal é o Christstollen, relativamente parecido com o nosso Bolo Rei, mas apenas nos ingredientes. Existem várias diferenças de país para país, tanto no processo de concepção como no aspecto final do bolo, mas os ingredientes são muito similares. A massa quase sempre é recheada com amêndoas, nozes, pinhões, uvas passas e vários frutos cristalizados.

Christstollen

Na Itália não pode faltar o Panettone, uma espécie de pão doce também recheado com passas e frutas cristalizadas.
Panettone
Outra tradição europeia de Natal são os biscoitos. Todos os países têm alguma tradição mas os biscoitos de Natal da Áustria são os mais famosos e aqueles que mais seguidores têm.

Weihnachtsbaeckerei - Biscoitos Austríacos

Adorei saber, através do blog da Cláudia, que na Noruega existe a tradição de fazer 7 variedades de biscoitos nos sete dias antes do Natal. Que empreitada!
Nos Estados Unidos cozinham-se os famosos Gingerbread Man e as Candy Canes, as tradicionais bengalinhas brancas e vermelhas.

Gingerbread Man

Em Portugal, na mesa de Natal não pode faltar o Bolo Rei, as Broas Castelares ou de Espécie, os frutos secos e os fritos tradicionais da época, as Filhoses e os Sonhos. Também pode vir um Tronco de Natal e uma Lampreia de Ovos que ninguém se importa!

Bolo Rei

Feliz Natal a todos e boas comilanças.

11 comentários:

Inside me disse...

Hum...hum...
Uma verdadeira gulosa... ;-)

...e fizeste-me recordar...os velhos tempos na aldeia dos meus avós ... "uma grande fogueira comunitária e vai-se à Missa do Galo."
... da fogueira dizia-se que era para aquecer o menino jesus...

... mas pelo meio ... uns grelhaditos ;-)

... e as filhoses feitas na noite de 24 Dez...hum..hum..com canela e açucar ... ou mel...hum hum...ainda lhes sinto o gosto...

Um Feliz Natal

Cláudia M. disse...

Que maravilha! Tanta coisa boa!

Obrigada pela lição de História, aprendi muita coisa. Desconhecia algumas dessas tradições.

Podíamos promover a realização de uma fogueira no Campo de Santana... ou então vamos até Viseu.

E esses doces que se fazem pelo mundo fora, gostava de provar todos: é que eu também não sou nada gulosa...

esses biscoitos austríacos estão com um aspecto maravilhoso.

Bjs

Claudia disse...

Amei a postagem, da forma como você contou a história, de como as coisas na vida dos homens são o resultado da acumulação de histórias e de referências e que hoje temos todos uma história muito parecida. Muito européia.

Nós, pobres povos americanos (americanos do sul, centrais e norteamericanos) herdamos fortes tradições européias (gregas, romanas, lusas, celtas, nórdicas e germânicas para citas apenas algumas) e abandonamos cada vez mais as nossas raízes americanas.

Sabe que ano que vem, no Natal, vou celebrar as tradições das Américas. Da Américas dos Xavantes, Tupis, Cheyennes, Astecas, Quechuas, Mayas e Guaranis, que tal? Hoje estou com muitas saudades das minhas raízes de fato, não das de direito!

Beijos,

C.

Isabel disse...

Cláudia, depois vou querer saber tudo sobre esse Natal índio. Eu adoro os povos americanos e sempre tive muita curiosidade sobre eles. Acho terrível o que aconteceu a esses povos quando o homem europeu chegou à América. Sinto a culpa do homem branco na minha consciencia. Apesar de não ter sido eu, também sinto esse peso das marcas de destruição deixadas nas Américas.

Tenho ideia de fazer um post sobre as influências das línguas índias na língua portuguesa. Uma homenagem ao índios. Qualquer dia farei.

Isabel disse...

Inside, na aldeia onde a minha mãe nasceu ainda têm esse costume, são rituais tão antigos e bonitos.

Mana, óptima ideia a fogueira no Campo de Santana! O problema é que chamavam logo a polícia e íamos passar a consoada na prisão!!!

Sofia disse...

Amiga... muita inspiração natalícia...
No natal gosto particularmente dos doces ;)

Inside me disse...

Sim são costumes bonitos ... e a que se deve dar continuidade... acho que também ainda fazem na aldeia dos meus avós... mas não tenho a certeza (menos pessoas na aldeia)... e os motivos porque passava lá o natal, á uns 3 anos que não estão lá mais ...

... mas nunca se sabe... o meu pai faz hoje 65 anos... reforma-se este mês... e talvez mude de ares...

... ainda me lembro do efeito destas fogueiras... do lado voltado para elas um calor abrasador... do outro um frio de gelar... noites de natal....brrr...frias... e o convivio ao pé delas.. :-)

ameixa seca disse...

É só coisas boas :)
Feliz Natal Isabel!!!

Claudia disse...

Isabel,

Vai ser um trabalho incrível estudar as influências das línguas indígenas das América e da África no português. Afinal a língua portuguesa está herdando com a unificação uma série de palavras e jeitos de se falar o português que são resultado das influências locais...

Vou adorar acompanhar teus resultados!

Feliz natal!!!

C.

Maldonado disse...

Desejo a ti e aos teus um santo Natal cheio de amor e carinho.

Heloísa disse...

Isabel,
Achei lindo seu post sobre o Natal, e aprendi bastante.
Como disse a Claudia, nós, os povos americanos, mantemos muito a tradição de outros povos, principalmente dos europeus. Tanto que nosso Natal é numa época de muito calor, mas o Papai Noel conserva sua indumentária dos lugares gelados.
Na nossa mesa temos panetones,castanhas, frutas secas, mas também as frutas frescas tropicais e doces gelados.
Beijos e Feliz Natal.